home Fóruns Geral Ataque a Paris, false flag?

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 25 do total)
  • Autor
    Posts
  • Loki
    Número de postagens: 18515

    o que acham? tem teorias?

    Loki
    Número de postagens: 18515
    Loki
    Número de postagens: 18515

    é só você olhar a capa da revista The Economist na edição de novembro que você vai saber que é um false flag

    a capa tem vários elementos, entre eles, escondido em um canto, você lê:

    IS – green light!

    Ou seja, Islamic State (Estado Islâmico), luz verde (para agir)

    Tem também duas flechas atingindo o “alvo” que no caso é uma famosa pintura que fica no Museu do Louvre em Paris. Nas flechas você vê os números 11.5 e 11.3, e se você for prestar atenção, 115113 é um anagrama da data do ataque (13-11-15)

    também é incrível a mania que terroristas tem de sempre carregar o seu passaporte quando vão fazer atentados, não é mesmo? nossa, impressionante…

    Loki
    Número de postagens: 18515

    dá uma olhada nisso:

    http://www.godlikeproductions.com/forum1/message3008636/pg1

    mais um ritual de sangue das elites?

    como o “Je Suis Charlie” em homenagem à futura princesa Charlotte filha do príncipe William, que estava ainda em gestação na barriga da Kate?

    Loki
    Número de postagens: 18515

    O ataque foi numa sexta-feira 13!

    Loki
    Número de postagens: 18515

    The 33 (Spanish: Los 33) is a 2015 English-language Chilean survival drama film, directed by Patricia Riggen and written by Mikko Alanne, Craig Borten, and José Rivera. The film is based on the real events of the 2010 mining disaster, in which a group of thirty-three miners were trapped inside the San José Mine in Chile for more than two months.

    Its United States and Canada theatrical releases were handled by Warner Bros. on November 13, 2015

    https://en.wikipedia.org/wiki/The_33_%28film%29

    Loki
    Número de postagens: 18515
    Snowden revela que Israel criou o Estado Islâmico ISIS para criar um ‘inimigo’


    Estados Unidos – Sott.net – Grande polémica estão causando as novas declarações de Edward Snowden, ex-funcionário da Agência de Inteligência do Governo dos Estados Unidos, NSA (siglas em inglês), quem acaba de revelar que os serviços de inteligência de EEUU, Reino Unido e Israel colaboraram juntos, através da Mossad (Agência de segurança de Israel), na criação do Estado Islâmico do Iraque e o Levante (EIIL ou também conhecido como ISIS). Foi a Mossad, quem formou uma organização terrorista que pretendia unir a todos os grupos extremistas do mundo a um sítio, usando a estratégia denominada “o ninho da vespa”.

    Para que criar estar organização terrorista?

    De acordo com documentos publicados por Edward Snowden, o propósito desta organização, é proteger o Estado Sionista, através da implementación do “ninho da vespa” por meio da criação de lemas religiosos e islâmicos, de tal modo que “a única solução para a protecção do Estado judeu é criar um inimigo perto das suas fronteiras”, assinalou Snowden.

    Nesse sentido, as filtraciones de Snowden descobrem que o Mossad procurou o treino militar, cursos de oratória e teologia, ao líder do Estado Islâmico, Abu Bakr Ao Baghdadi.

    O Estado islâmico (EIIL ou ISIS), provocou um violento levante no Iraque. Embora não se conhecem os dados exactos do financiamiento do ISIS acredita-se que controla 2.000 milhões de dólares e se compõe de 10.000 combatentes, o que permite este grupo combater exitosamente contra o Exército iraquiano e assim tentar controlar uma região que se estende desde a cidade de Alepo na Síria, até as cidades de Faluya, Mosul e Tal Afar no Iraque.

    Cabo assinalar que o grupo armado islâmico ISIS, uniu-se oficialmente em 2004 à organização terrorista da o Qaeda, da qual foi fundador Osama Bin Laden, quem por sua vez foi financiado pela Agência de Investigação e Inteligência de Estados Unidos (chame-se CIA), está documentado e reconhecido o financiamiento ao menos durante a batalha contra as tropas da União Soviética, embora diversos peritos e jornalistas assinalam que a relação poderia ser mais longeva.

    Nesse sentido, a proximidade entre estes dois grupos terroristas favoreceu a expansão do Estado Islâmico e a morte de muitos cidadãos iraquianos. Ainda, segundo os peritos o EIIL ou ISIS é mais poderoso do que a Al Qaeda, a organização da qual anunciou a sua separação este ano.

    O ISIS controla grande parte do território de Iraque, assim como parte da Síria. Porém, outros grupos insurgentes rejeitaram e até combatido a presença de ISIS. Tal é o caso do Exército Livre Sírio, a Frente Islâmica e a Frente Al Nusra.

    Loki
    Número de postagens: 18515
    Loki
    Número de postagens: 18515
    Como os EUA ‘ajudaram’ na criação do ‘Estado Islâmico’

    Um dos grupos extremistas mais poderosos da atualidade, o autointitulado ‘Estado Islâmico’, nasceu em um lugar surpreendente: uma prisão americana no deserto do Iraque.

    Isto segundo analistas e comandantes que instalaram a prisão de Camp Bucca, no sul do Iraque, e os soldados que trabalharam no local.

    Camp Bucca não era o nome original da prisão. Logo depois da invasão do Iraque, a instalação foi batizada de Camp Freddy pelas forças britânicas.

    Mas, em abril de 2003, quando os americanos assumiram o controle do campo de detenção, ele foi rebatizado para homenagear Ronald Bucca, um chefe de bombeiros de Nova York que morreu durante os trabalhos de resgate após os ataques de 11 de setembro de 2001 contra as torres do World Trade Center.

    O centro de detenção fica nos arredores da cidade de Basra, sul do Iraque, e foi considerado uma prisão modelo, com unidades habitacionais de cimento e teto de madeira, atividades gerenciadas pelos próprios detentos, direito a visita familiar e assistência médica.

    Camp Bucca chegou a ter 27 mil detentos espalhados em 24 campos e classificados com uniformes de cores diferentes. Muitos destes detentos foram para a prisão transferidos de Abu Ghraib, depois do escândalo de torturas e abuso de prisioneiros.

    Por esta prisão passaram, entre outros, nove integrantes da cúpula do ‘Estado Islâmico’, segundo um relatório do Soufan Group, uma organização que oferece serviços estratégicos de inteligência em segurança a governos e multinacionais. O informe, chamado The Islamic State, foi publicado em novembro de 2014.

    ‘Universidade’
    O líder do ‘Estado Islâmico’, Abu Bakr al-Baghdadi, que afirma ser o califa e “líder de todos os muçulmanos”, passou cinco anos em Camp Bucca.

    Em fevereiro de 2004 al-Baghdadi estava em uma prisão em Fallujah, a oeste da capital iraquiana, Bagdá, quando foi transferido para o complexo no deserto.

    Ele estava com 33 anos e há alguns meses tinha ajudado a fundar o Jeish Ahl al-Sunnah al-Jamaah, um grupo militante com raízes nas comunidades sunitas nos arredores de sua cidade natal, Samarra.
    Aqueles eram os tempos da insurgência sunita contra os Estados Unidos.

    Mas, o grupo que ele ajudou a fundar não era muito conhecido e, por isso, ele chegou a Camp Bucca sem muita fama.

    “Os americanos não sabiam quem estavam prendendo”, disse Hisham al-Hashimi, assessor do atual governo do Iraque.

    Em Camp Bucca, al-Baghdadi conheceu aquele que seria o número dois na cúpula de poder do ‘Estado Islâmico’, Abu Muslim al-Turkmani, assim como o experiente militar Haji Bakr, já falecido.

    E, de acordo com o Soufan Group, também esteve na prisão Abu Qasim, líder dos combatentes estrangeiros.

    Para analistas, Camp Bucca apenas aprofundou o extremismo entre eles.

    “Antes de sua prisão, al-Baghdadi e outros eram radicais violentos (…), mas seu tempo na prisão aprofundou seu extremismo e deu a eles a oportunidade de aumentar o número de seguidores”, afirmou o ex-militar Andrew Thompson ao jornal The New York Times em novembro de 2014.

    “A prisão se transformou em uma universidade virtual de terroristas”, acrescentou.

    David Petraeus, general que liderou a operação americana no Iraque, já tinha reconhecido este fato quase com as mesmas palavras.

    “Estes extremistas estavam, basicamente, gerenciando uma universidade para treinar terroristas em nossas próprias instalações. Estávamos liberando indivíduos que eram mais radicais do que quando chegaram (a Camp Bucca)”, afirmou.

    Radicalização
    O chefe da polícia iraquiana, Saad Abbas Mahmoud, também se referiu à radicalização dentro de Camp Bucca em uma entrevista ao jornal americano The Washington Post.

    “Estes homens não estavam plantando flores no jardim.”

    James Skylar Gerrond, comandante encarregado da prisão entre 2006 e 2007, tem esta mesma opinião.

    “Muitos de nós em Camp Bucca nos preocupávamos que, ao invés de apenas alojar os detidos, também tínhamos criado uma panela de pressão do extremismo”, escreveu Gerrond em sua conta no Twitter.

    Os analistas também afirmam que Camp Bucca não foi apenas um lugar para a radicalização, mas também para a colaboração.

    Foi naquela prisão que os membros do Baath, o partido do ex-líder iraquiano Saddam Hussein, se encontraram com os fundamentalistas islâmicos. E isto acabou em um “casamento de conveniência”, segundo o Soufan Group.

    Os analistas afirmam que cada grupo ofereceu o que o outro precisava. Assim, os jihadistas aprenderam com os membros do Baath habilidades para se organizar e disciplina militar. E os baathistas, por outro lado, encontraram um propósito entre os militantes islamistas.

    “Em Bucca, as matemáticas mudaram quando as ideologias adotaram traços militares e burocráticos e os burocratas se transformaram em extremistas violentos”, afirmou o relatório do Soufan Group.

    De acordo com o jornalista da BBC Peter Taylor, que tem 35 anos em assuntos como insurgência e violência política, conhecer estes fatos é fundamental para entender o fenômeno que é o ‘Estado Islâmico’.

    O EI é um grupo que, em poucos meses, levantou uma fortuna calculada em US$ 2 bilhões, controla grandes áreas na Síria e Iraque, onde vivem cerca de 8 milhões de pessoas, conta com cerca de 50 mil combatentes, usa com muita habilidade as redes sociais para fazer propaganda e, conseguiu levar cerca de 12 mil militantes estrangeiros a prometerem fazer parte da Jihad.

    Loki
    Número de postagens: 18515
    Documentário Occupation 101 – A Voz da Maioria Silenciada (2006)

    “O maior inimigo do conhecimento não é a ignorância… é a ilusão do conhecimento”

    Loki
    Número de postagens: 18515

    1) Pense em como nós esperávamos isso. Sabíamos falsos ataques como este estavam indo para ocorrer.

    2) É, sem dúvida, irá criar agitação civil que sabemos que é precisamente o que eles querem. Dividir e conquistar – é a mesma velha história.

    3) E tudo isso está ocorrendo quando nossos políticos miseráveis ​​para sempre afirmam que eles estão o combate ao terrorismo. Bem, nós tivemos 14 anos de suas políticas e por isso não estou totalmente no meu direito de dizer – se algo que a situação está piorando! VOCÊ ESTÁ FAZENDO MUITO um péssimo trabalho!

    4) Será que os nossos políticos fantoche sionista nunca vai admitir talvez nós não somos muito bons em combate ao terror ou melhor ainda, talvez precisamos repensar essa estratégia louco de reduzir nações árabes a escombros.

    5) E quem está se beneficiando da política externa ridículo do Ocidente? Israel e apenas Israel. E o plano de Oded Yinon para criar Grande Israel é a arma fumegante. Sabemos também sionistas exercem enorme influência sobre os nossos políticos pedófilos amoroso.

    6) Como é que estes “ataques” ocorrem sempre onde abundam fantoches sionistas? Mais ao ponto – se estamos realmente lidando com terroristas islâmicos fanáticos, como é que eles nunca atacar seu maior inimigo Israel?

    7) É claro que a única maneira que tudo faz sentido é que se você entender quem são os verdadeiros terroristas e, finalmente, quem realmente controla ISIS. Eu tenho ido com o rosto azul dizendo ISIS é inteiramente uma operação israelense.

    8) A mera noção do influxo destes refugiados que perderam tudo poderia estar por trás desses ataques coordenados é tão ridículo é inacreditável. Essas pessoas têm a sorte de estar vivo.

    9) E o que de toda a tecnologia sofisticada de espionagem nossos governos estão detestava a nos dizer sobre – como nas chamas pode fanáticos adquirir tais armas e organizar ataques desse tipo de estilo militar, sem ninguém saber?

    10) E por último mas não menos importante – ninguém vai assumir a responsabilidade ainda o dedo da culpa será doado para os islâmicos, mesmo que isso não serve para nada que seja para os árabes, muçulmanos ou qualquer um. No entanto, este evento é absolutamente exatamente o que o medicado encomendados para os sionistas!ESPERAR MAIS DO MESMO! Se os terroristas ISIS são que operam na Europa, é porque NOSSOS LÍDERES providenciado!


    http://www.amtvmedia.com/opinion-10-reasons-why-the-paris-attack-is-a-false-flag/

    Loki
    Número de postagens: 18515
    Loki
    Número de postagens: 18515

    Não acho que seja nada religioso, é lance de grana (óleo), como sempre  8-|

    Loki
    Número de postagens: 18515

    NUNCA é só “lance de grana”, coloque isso na sua cabeça…

    SEMPRE é “religioso” também, no sentido de ter a ver com rituais ocultistas

    todo false flag sempre tem as duas dimensões envolvidas, a dimensão econômica e/ou política, e a dimensão ocultista

    alguns dos envolvidos na organização do false flag não sabem da dimensão ocultista, e pensam que estão fazendo aquilo apenas pela parte econômica ou política

    enquanto outros sabem perfeitamente da dimensão ocultista envolvida

    Loki
    Número de postagens: 18515

    Meu, você é tão fanático quanto esses doidos que se explodem, fala sério… Não sei se te contaram mas a gente não está mais na idade média, o papa não manda mais no mundo, jesus não voltou e não queimamos mais bruxas na fogueira. Também não estamos na antiguidade quando saímos que loucos atrás de território. O lance hoje é muito mais simples, tudo é dinheiro, tudo é parte de um grande negócio. 

Visualizando 15 posts - 1 até 15 (de 25 do total)
Responder a: Ataque a Paris, false flag?
Sua informação:




:bye: 
:good: 
:negative: 
:scratch: 
:wacko: 
:yahoo: 
B-) 
:heart: 
:rose: 
:-) 
:whistle: 
:yes: 
:cry: 
:mail: 
:-( 
:unsure: 
;-) 
:fuck: 
:confused: 
:dorgas: 
mais...