home Fóruns Qual o melhor método de suicídio rápido e indolor? Responder a: Qual o melhor método de suicídio rápido e indolor?

iluminador
Número de postagens: 2336

Como tirar selfies me ajudou a sair de crises depressivas
Registrar todos os momentos bons que tenho vivido me ajuda a lembrar que eu não sou apenas a dor que sinto.

publicado 18 de Janeiro de 2019, 5:38 p.m.
Por Aline Ramos / BuzzFeed Staff

No ano passado eu fui diagnosticada com depressão e comecei a fazer terapia. Numa das primeiras sessões, minha psicóloga deu um conselho que jamais vou esquecer: “quando você sentir que está caindo, tenta lembrar que você pode subir”.

Eu estava desesperada com toda a dor que havia dentro de mim. Pedir ajuda profissional, tanto de uma psicóloga quanto de uma psiquiatra, foi o que me fez chegar até o final de 2018.

Na mesma semana, eu senti que estava caindo em queda livre. Não consegui conter as lágrimas e fui correndo para o banheiro do trabalho.
Fiquei lá dentro por uma hora. Eu não conseguia parar de chorar, não conseguia me acalmar e, na época, tinha vergonha de pedir ajuda.

Foi quando lembrei do conselho dado pela minha psicóloga. Peguei meu celular e vi a foto que tinha tirado na manhã daquele mesmo dia. Assim me dei conta de que eu não era apenas a dor que sentia.

Eu tinha tirado essa foto porque há tempos não me sentia tão bonita. Mas nesse dia olhei para mim e pensei “uau, preciso registrar isso”. Eu estava muito satisfeita por ter conseguido me levantar mais cedo e ter me arrumado do jeito que eu gostaria de fazer todos os dias.

Eu não andava tirando fotos de mim, mas como percebi que ter me visto feliz na foto me ajudou, passei a registrar todos os meus momentos bons.

Nesse dia eu estava com muitas dores no corpo e na cabeça e por isso não tinha ido trabalhar. Quando consegui levantar da cama, tirei essa foto e mandei para o meu namorado, que disse: “iluminada”. Quando eu me vejo em meio à escuridão, sempre volto para essa foto.

Porque, em geral, eu me sentia horrorosa. Como neste dia em que estava com os olhos inchados de tanto chorar e não conseguia ver um pingo de beleza em mim.

Como o meu namorado insistiu para tirar a foto, eu arrumei um jeito de esconder meus olhos. Mas a verdade é que eu queria me esconder mesmo.

Eu não sei se vocês sabem, mas quando a gente está deprimido, nada está bom. Esta era a imagem que eu tinha de mim, por isso tinha vergonha até de sair na rua.

Às vezes, a gente esquece de dar valor aos momentos bons e vive intensamente os momentos ruins. Por isso passei a viver e aproveitar intensamente os raros momentos de felicidade que eu tinha mesmo sabendo que uma hora eu poderia cair de novo.

Quando estamos com depressão, o medo de que a crise volte parece um fantasma. A gente não quer sentir aquela dor novamente e esse medo acaba nos impedindo de aproveitar os momentos bons. É muito difícil lutar contra isso, mas é necessário.

Algumas fotos eu passei a postar no Instagram, mas com legendas sinceras sobre o que estava sentindo.

Eu não queria mostrar que a minha vida era perfeita, mas compartilhar com os meus amigos as minhas pequenas vitórias. Como essa, que foi ter coragem de raspar o cabelo e pintar de loiro, coisa que eu queria faz tempo.

Outras estão guardadas na minha galeria.

Essa foto eu tirei porque estava me sentindo muito poderosa de terninho branco.

Eu sempre amei mulheres negras de terninho branco e enfim tinha realizado o meu sonho.

Como a deste dia em que eu saí para um pagode, mas fui vestida como se fosse para uma exposição de arte. Tudo porque eu queria usar logo esse óculos rosa.

Sair de casa nesse dia foi uma vitória e tanto. Eu andava receosa de ir para ambientes com muita gente, mas decidi enfrentar meu medo e fui mesmo assim.

Neste dia eu estava tristinha, abri a câmera frontal do celular e me achei muito bonita. Registrei este momento em que eu estava superando toda a minha tristeza pra fazer o teste “Qual espetinho de churrasco você é?”.

Às vezes a gente tenta usar o Instagram para provar pros outros que é divertido ou que tudo está bem na sua vida. Como foi o caso desta foto que o meu namorado tirou de mim.

Mas a foto que mais importa, com o meu melhor ângulo, é esta aqui: eu estou me encarando e tentando enxergar através dos meus olhos toda a beleza que há dentro de mim.

Lembre: se você está passando por algo parecido, sempre pode pedir ajuda, seja para amigos, para familiares, para especialistas, no posto de saúde, no pronto socorro ou no Centro de Valorização da Vida http://www.cvv.org.br/, ligando gratuitamente a qualquer dia ou hora para o 188.

https://www.buzzfeed.com/br/ramosaline/como-tirar-selfies-me-ajudou-a-sair-de-crises-depressao